Novas medidas complementares são decretadas para conter pandemia

209

Medidas incluem toque de recolher, proibição de entradas e saídas na balsa, protocolos para funcionamento de comércio essencial, transportes coletivos, produção agropecuária, velórios e unidades de saúde

A Prefeitura de Delfinópolis reforçou as medidas para enfrentar a pandemia do Coronavírus. As decisões foram tomadas depois de reuniões com a maioria dos prefeitos da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (AMEG) e com o COMITÊ DE ENFRENTAMENTO AO CORONAVIRUS em nosso Município.

Veja o que muda com o novo decreto publicado em 02 de abril:

  • Aulas, transportes escolares e universitários, atendimentos eletivos (sem urgência) e atividades turísticas foram suspensos por tempo indeterminado.
  • Administração e Secretarias Municipais estão em funcionamento interno e as demais divisões voltarão ao horário normal a partir do dia 06 de abril.
  • O serviço público de transporte por balsa permanece limitado a 1 (uma) balsa com novas limitações. A entrada e saída de veículos de passeio, motocicletas e pedestre está proibido, com exceções desde que devidamente comprovadas e autorizadas.
  • Foi suspenso por tempo indeterminados as atividades turísticas, eventos religiosos ou de qualquer natureza em locais abertos ou fechados, bares, restaurantes e lanchonetes, academias de ginástica e salões de festas. Sendo permitido as atividades internas, entregas, retiradas em balcão e transações comerciais por meio da internet, aplicativos e telefone desde que respeite as regras sanitárias e de distanciamento.
  • Foi determinado o toque de recolher das 20h às 04h. Os comércios devem ser fechados e as pessoas ficam proibidas de transitarem nas ruas durante o período, com exceções.
  • Velórios seguirão protocolos específicos.
  • Barreiras sanitárias entre a sede e os distritos estão autorizadas.
  • O decreto regula também práticas comerciais, transporte de passageiros e funcionários e determina a implementação de medidas de prevenção em estabelecimentos comerciais e produtores agropecuários.

Confira todos os detalhes no decreto nº 017 de 02 de abril de 2020: